História

Nossa história

Em novembro de 1994, através de grande movimento para a melhoria no preço da picanha as churrascarias de São Paulo, sob a decidida e competente liderança de Ari José Nedeff (Novilho de Prata e Montana Grill) e José Roberto Terassi (Recanto Gaúcho), fundaram a ACHUESP – Associação das Churrascarias do Estado de São Paulo, que com o apoio e adesão de muitos colegas vem crescendo dia a dia e hoje presta inúmeros serviços aos associados. A Diretoria implantou o conceito de “utilidade” para fazer retornar ao associado, através da prestação de serviços, valores muitas vezes superiores ao investido na mensalidade


História do Churrasco

A carne sempre esteve na alimentação do homem desde o tempo das cavernas. Nessa época qualquer caça chamuscada era a garantia de sua sobrevivência. A humanidade evoluiu e o preparo da carne também, recebendo inúmeros molhos e temperos das mais variadas ervas. Mas foi no Rio Grande do Sul, há algumas centenas de anos atrás, que o gaúcho criou o seu prato predileto, o churrasco, ganhando a preferência nacional e a admiração internacional.

 

image005

triavel.com.br 

A fórmula nao poderia ser mais simples. O homem do campo, que vivia nos Pampas criando o gado bovino, não tinha muito tempo para preparar as suas refeições. Um belo dia resolveu assar alguns pedaços de carne, em fogo feito no chão e espeto de pau, temperada única e exclusivamente pelo sal grosso que oferecia aos animais como complemento alimentar. Estava descoberto o churrasco, iguaria que se espalharia por todo o País.

 

O rodízio, uma criação do acaso

O sucesso do churrasco ganhou o mundo, não demorando para surgirem as primeiras casas especializadas nesse delicioso quitute. No início cada corte de carne era oferecido individualmente, como prato único, até que surgiu uma nova maneira de servir que viria revolucionar o sistema de restauração: sistema rodízio. Conta a lenda que, em uma churrascaria do sul, o sistema nasceu por causa de um atrapalhado garçom. Ao entregar as carnes as mesas, ele trocou os pedidos, oferecendo a picanha a quem havia pedido costela, a maminha a quem solicitou o cupim e assim por diante, generalizando a confusão. Para acalmar o ânimo dos clientes o Sr. Albino Ongaratto, dono da churrascaria, resolveu passar todas as carnes em todas as mesas e cobrar um preço único pelo almoço. Estava descoberto o rodízio, um sistema que agrada a gregos e troianos, gaúchos e baianos.

São Paulo, paraíso das churrascarias

São Paulo, considerada capital mundial da gastronomia, é a cidade que possui as melhores churrascarias rodízio do mundo. Além de liderar o ranking com o maior número delas. É difícil precisar o seu total porque a cada mês uma nova casa é apresentada como mais uma opção aos gourmets. Em São Paulo, o sistema rodízio foi aperfeiçoado, ganhando a sofisticaçao que os paulistanos exigem e a qualidade de primeiro mundo de quase tudo que aqui é realizado. Com isso os bufes de entrada ganharam tantas saladas que até os vegetarianos mais radicais se sentem em casa em uma churrascaria. No setor das carnes a variedade cresceu, oferecendo além dos cortes bovinos, uma série de peixes, aves e até carne de caça. Para os acompanhamentos chegaram pratos de outras culinárias como as massas italianas, a paella espanhola e o sushi japonês, mostrando na mesa a integração e o pacífico convívio de todas as culturas na cidade. Estava criado um novo conceito de restaurantes, genuinamente brasileiro.

 

Do Brasil para o mundo

A França tem na formalidade e no rebuscado de suas receitas e de suas etiquetas as características que marcam o seu sistema de atendimento e sua gastronomia. Já nos Estados Unidos fazem dos fast-foods e da excessiva informalidade a sua marca registrada, impondo o seu way of life como um estilo de vida a ser seguido. Nesse atual mercado globalizado, surge a vez do Brasil na área da gastronomia mundial. O sistema de suas churrascarias rodízio, cuja formatação final foi dada em São Paulo, oferece o binômio que todos esperavam: quantidade com qualidade. Essa é a fórmula simples do sucesso das churrascarias que, cada vez mais, ganham espaço nos Estados Unidos, Japão, Portugal, Alemanha e até na China. Estamos colocando o nome do Brasil no seleto grupo da gastronomia mundial.

 

Churrascarias, uma tendência do futuro

O estudo Foodservice 2005 produzido pela IFDA (International Foodservice Distribuitors Association and Food Distribuitors International, da Mc Kinsey & Company), aponta que as tendências mais marcantes dos consumidores deserviços de alimentação para a próxima década são as exigências da variedade e da rapidez, além da acomodação para os gostos de toda a família. Essas já são as principais características das churrascarias, pois o tempo da refeição é decisão do cliente. No conforto do atendimento a mesa, o espeto sai “frigindo” da brasa com a velocidade de fast-food. Se o cliente tiver pressa faz uma refeição rápida, pois tudo está pronto. Já aqueles que não tiverem tanta pressa podem ainda desfrutar dos aperitivos e sobremesas com tranquilidade.

Texto – Franklin Valverde